quarta-feira, 17 de agosto de 2011

três anos de blog (e nada de alguém me convidar para um ensaio materno-sensual)

 

Então que o Piscar de Olhos faz três, minha gente, três anos.

Como ninguém me chamou pra ir no programa de Marília Gabriela e nem pra fazer um ensaio materno-sensual na Playboy (?), resolvi dar asas a um entrevistador imaginário, e porque não?

Segue, na íntegra, a entrevista concedida em comemoração aos três anos do Piscar.

Com a palavra, Jô Soares.

(Mas o que foi, hein? Se o entrevistador fantasma é meu, eu chamo ele do que eu quiser, dá licença?)

***

: Caraca, este blog está fazendo três anos! Você não acha que é hora de dar um tempo?

:  Sabe, Jô, toda blogueira, pelo menos uma vez na vida blogosférica, pensa em passar a régua, encerrar a conta no Bradesco e mudar de vida pra sempre. Mas blog é uma coisa meio viciante e eu ainda não estou pronta pra parar com as drogas.

: Mas quanto tempo ainda vai durar esse seu papinho de mãe rebelde?

: Não faço a mínima idéia. Uma semana? Um ano?  Dez? O dia em que o blog me aporrinhar mais do que me dá prazer eu cato minhas coisinhas, mando um beijo-tchau pras amigas e inauguro um blog sobre Casa & Jardim.

[caption id="attachment_1729" align="aligncenter" width="270" caption="hahaha, que blogueira gente boa - diz jô, sorrindo."][/caption]

: E o livro? Sai ou não sai?

: Ontem eu finalmente decidi que o livro vai sair, sim. Fiz uma pesquisa entre os  3.600 comentários e...

: 3.600 comentários? Mas a produção disse que você era uma blogueira bem fraquinha!

: Fraquinha? Fraquinha é a sua dieta!

[caption id="attachment_1731" align="aligncenter" width="364" caption="hahahaha, o jô se ferrou, hahahaha"][/caption]

:  Como eu estava dizendo - antes de você me interromper-  eu fiz uma pesquisa nos comentários, nos seguintes termos: se mais de 100 pessoas me sugerissem que eu  escrevesse um livro, então eu escreveria. No final, foram 89 pessoas que sugeriram, então vou escrever o tal do livro.

: Mas você disse que só escreveria o livro se CEM pessoas te sugerissem.

: Não, Jô, eu falei oitenta. Você que entende tudo errado.

[caption id="attachment_1732" align="aligncenter" width="460" caption="HAHAHAHAHAHAHAHA, TOOOOMA, Jô!"][/caption]

Jô: E qual conselho você daria para uma blogueira caloura, que acabou de chegar? Como transformar seu blog em um blog de sucesso?

: Sei lá, ainda tô pra descobrir. Mas acho que tem que ter aquele lance de seguidores e ter conta no twiter.

: Mas você não tem nem um, nem outro.

: Não, não tenho. E você não tem nada a ver com isso.

[caption id="attachment_1736" align="aligncenter" width="364" caption="hihihihihihih, ela é ótima, ela é ótima"][/caption]

Jô: "Adoro seu blog, venho sempre aqui". Você gostaria de receber um comentário assim de ...

:  Rodrigo Santoro Madonna.

: De quem mais?

: Rodrigo Santoro Fernanda Montenegro.

: Agora sobre a etiqueta e os bons modos na blogosfera: pode "se inspirar" em post alheio sem dar créditos?

: Não, de jeito nenhum. Aliás, essa é uma maneira de você deixar uma blogueira puta da vida dela. Copiar, seja descaradamente, seja de forma "sutil". Aliás, eu acho que o "copiar sutil" é ainda mais irritante.

: Além disso, o que mais irrita uma mãe blogueira?

Rô: Falta de respeito, falta de celulite, falta do que fazer e filho que dorme a noite inteira (quando esse filho não é o seu, obviamente.)

: Existe muita picuinha no meio?

Rô: Existe, acima de tudo, camaradagem. Muita camaradagem. Você não tem idéia de como a galera se ajuda. Claro que existem picuinhas, mas a explicação pra isso é meramente hormonal: pesquisas indicam que a cada três segundos uma blogueira menstrua. E a menstruação de hoje foi a TPM de ontem. A sua, a dela, a da outra. Agora põe umas mil mulheres de TPM  na mesma pracinha pra você ver o pau que dá.

: Eu conversei com a Roberta...

(e a platéia: aaaaaaaaaaaahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh)

Rô: Jô, posso mandar um beijão pro pessoal? Nossa, tô até chorando, de tão emocionada.

: Mas não é só você que está chorando, não. Dá uma olhada na platéia...

: Nossa, Romário???

[caption id="attachment_1738" align="aligncenter" width="240" caption="porra, merrmão, tô emocionadão, aê"][/caption]

: Lula???

[caption id="attachment_1739" align="aligncenter" width="172" caption="esse é o brasil que a gente quer, gente"][/caption]

 

Rô: Mr. President??

[caption id="attachment_1740" align="aligncenter" width="260" caption="yes, we can"][/caption]

Meninas, meninos, amigos virtualmente reais, meus sinceros agradecimentos.

Obrigada pela fidelidade aqui, nos projetos, nos vídeos (o que? você ainda não viu? corre que esses até o Rodrigo Santoro a Madonna aprovou! )

O Piscar de Olhos está longe de ser o blog mais fácil de ler, com seus textos intermináveis longos e pouco informativos.

Mas vocês são, sem dúvida, os melhores leitores que eu poderia sonhar em ter.

De coração, obrigada.

 

imagens daqui daqui, dali, de acolá.

 

 

 

 

domingo, 7 de agosto de 2011

mamãe versão curta e grossa

 

Respostas curtas para as C.P.T.T. -  Coisas que me Perguntam o Tempo Todo.

 

1. Noah está crescendo em contato com três línguas. Você não tem medo que o moleque fique confuso, desaprenda todas as três e se cale para sempre?

Não.

2. Você acabou de mudar Noah de escola só por considerar que eles alfabetizam as crianças precocemente. Você não acha que deveria aproveitar a oportunidade e ter seu filho alfabetizado aos 3 anos de idade?

Não.

3. Eu vi fotos da nova escola dele, um monte de criança brincando com tralhas de madeira. Você não tem medo que seu filho se torne um hippy comedor de granola?

Não.

4. Pretende pelo menos cortar o cabelo dele?

Não.

5. Em seus vídeos dá pra notar que Noah tem uma mini-cozinha no quarto. Você não tem medo que ele vire gay?

Não.

 

[caption id="attachment_1688" align="aligncenter" width="1024" caption="eu sou apenas uma mini cozinha"][/caption]

 


6. Mas não seria melhor tirar aquela viadagem do quarto dele antes que ele pegue gosto pela coisa e se torne um Jamie Oliver da vida?

Não.

7. Você acha que o Jamie Oliver é gay?

Não.

8. Você teria algum problema se ele fosse?

Não.

9. Entendidos da pedagogia moderna e estudiosos da psicologia infantil contemporânea (?) dizem que uma cidade que oferece muitas oportunidades de lazer para crianças acaba por criar cidadãos mimados e mal acostumados. Você concorda? Não acha que Cingapura investe dinheiro demais só pra fazer da cidade um lugar child friendly? Depois seu filho vai crescer achando que o mundo é a Disney?

Não. Não. Não.

[caption id="attachment_1692" align="aligncenter" width="1024" caption="cuidado! este parque gera cidadãos do MAL"][/caption]

 

10. Mas e o dia em que ele for pra uma praia sem estrutura pra criança. Será que ele não vai estranhar?

Não.

[caption id="attachment_1694" align="aligncenter" width="1024" caption="o parquinho que me garante o choppinho do fim de semana"][/caption]

 

11. Mas você não tem medo que quando ela vá a restaurantes sem parquinho ele não saiba se comportar?

Não.

[caption id="attachment_1696" align="aligncenter" width="764" caption="o parquinho do restaurante que me garante o choppinho do fim de semana II"][/caption]

 


12. Não acha que seu filho está crescendo em um mundo de mentira? Que ele vai ser um adulto sem noção?

Não. Não.

[caption id="attachment_1691" align="aligncenter" width="764" caption="cuidado: futuro adulto sem noção"][/caption]

 


13. Ah, mas você não fica com medo de seu filho acabar perdendo a identidade por crescer em um lugar com tanta diversidade cultural?

Não.

[caption id="attachment_1712" align="aligncenter" width="630" caption="hinduísmo, budismo, cristianismo - tudo junto misturado"][/caption]

14. Gente, mas na nova escola do Noah existem crianças de 23 nacionalidades diferentes. Isso não te assusta?

Não.

15. E a escola que ele vai frequentar quando crescer, que tem alunos de 45 nacionalidades diferentes?! Isso sim é assustador.

Não.

[caption id="attachment_1695" align="aligncenter" width="1024" caption="mamãe, tem um navio encalhado lá em cima!"][/caption]

 

16. Ouvi dizer que em Cingapura você não pode mascar chiclete. Mas isso é boato, né?

Não.

17. Mas você não se incomoda com isso?

Não.

18. Ouvi dizer que o governo educa a população através de multas, placas e cartazes espalhados pela cidade. Balela, não é?

Não.

[caption id="attachment_1700" align="aligncenter" width="1024" caption="árvores e galhos podem cair, viu mamãe?"][/caption]

 




[caption id="attachment_1701" align="aligncenter" width="1024" caption="não alimente  cisnes e peixes, exceto com a comidinha daquela máquina ali, ó mamãe!"][/caption]

 




[caption id="attachment_1702" align="aligncenter" width="764" caption="mamãe, aquela placa diz que os macacos adoram mexer em bolsas dando sopa por aí! cadê a sua?"][/caption]

 




[caption id="attachment_1704" align="aligncenter" width="480" caption="porque levar um coco na cebeça não é agradável"][/caption]

 


20. Você diz que só vai passar a escrever Cingapura com S quando o site da embaixada brasileira em Cingapura adotar a nova grafia. Já mudou de idéia?

Não.

21. Agora vem cá. Você não acha um pouco demais levar o moleque para um concerto de monges tibetanos?

Não.

[caption id="attachment_1698" align="aligncenter" width="1024" caption="mamãe, é isso que eles chamam de música experimental?"][/caption]

 

22. Então quer dizer que Cingapura é perfeita?

Não.

23. Você odeia o Brasil?

Não.

24. Pretende voltar pro Brasil em breve?

Não.

25. Eu quero muito morar fora do Brasil, mas minha cunhada vive dizendo que conhece uma porção de gente que se deu mal fazendo isso. E minha sogra diz que eu vou me arrepender. Devo dar ouvido a esse tipo de pitaco?

Não.

[caption id="attachment_1708" align="aligncenter" width="1024" caption="não dá pra saber onde termina o marido e começa a paisagem"][/caption]

 

Respostas econômicas, inspiradas nas respostas definitivas da Luíza.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

filho ou cachorro? - parte II

 

Aviso ao leitor: Para melhor compreensão deste post, ler antes este post aqui.

***

Marido me proibiu terminantemente de falar da nossa vida sexual aqui no blog, de modo que não poderei mais dividir com vocês o lance da anulação e foco nos elementos da natureza mencionado no post anterior.

Patrão proibiu, simples assim.  Essas foram as exatas palavras proferidas por ele:

"Já não basta o fato de que nós, maridos de blogueiras, somos mencionados sem cerimônia em blogs espalhados pelo país e pelo mundo, ainda temos que dividir episódios de foro íntimo e privado para um sem número de mulheres?"

Então, senhoras, ainda que o próximo filho nasça a minha cara eu estou, desde já, desautorizada a detalhar se foi ou não obra da tal simpatia tibetana.

Mas, cá entre nós, vocês vão saber que foi. Ho ho ho.

***

E obrigada por interromper o domingão precioso de vocês pra vir aqui me dizer que era hora mesmo de fazer mais um filho. Fiquei feliz, cantarolei, coloquei a mesa, abri vinho do bom e fui fazer almocinho de domingo.

- Mamãe, o que você tá fazendo?

- Peixe assado, filhote.

- Mas como é que se faz?

- Primeiro você pega o peixe, coloca sal, coloca limão...põe ele no  no forno até que ele fique douradinho. Daí é só comer! Entendeu?

***

Depois do almoço achei que era a hora de consultar o primogênito sobre a decisão de vocês nossa decisão:

- Filho, o que você acha de ter um irmãozinho, um bebê e tal e coisa.

- Eu não quero!

- Mas vai ser legal! Você vai pegá-lo no colo?

- Não, no colo, não.

- Então o que você vai fazer com ele?

- Primeiro eu vou passar sal, depois limão, daí vou botar o bebê no forno até ele queimar. E depois...e depois eu como ele inteirinho e jogo ele na piscina. Entendeu?

***

E daí? Desisto da idéia e vou buscar o labrador?
 

Aviso ao leitor: Para melhor compreensão deste post, leia primeiramente, este post aqui.

***

Marido me proibiu terminantemente de falar da nossa vida sexual aqui no blog, de modo que não poderei mais dividir com vocês o lance da anulação e foco nos elementos da natureza mencionado no post anterior.

Patrão proibiu, simples assim.  Essas foram as exatas palavras proferidas por ele:

"Já não basta o fato de que nós, maridos de blogueiras, somos mencionados sem cerimônia em blogs espalhados pelo país e pelo mundo, ainda temos que dividir trechos de foro íntimo e privado para um sem número de mulheres?"

Então, senhoras, ainda que o próximo filho nasça a minha cara eu estou, desde já, desautorizada a detalhar se foi ou não obra da tal simpatia tibetana. Mas, cá entre nós, vocês vão saber que foi..ho ho ho.

Combinadas?

***

E obrigada por interromper o domingão precioso de vocês pra vir aqui me dizer que era hora mesmo de fazer mais um filho. Fiquei feliz, cantarolei, coloquei a mesa, abri vinho do bom e fui fazer almocinho de domingo.

- Mamãe, o que você tá fazendo?

- Peixe assado, filhote.

- Mas como é que se faz?

- Primeiro você pega o peixe, coloca sal, coloca limão...põe ele no  no forno até que ele fique douradinho. Daí é só comer! Entendeu?

***

Depois do almoço achei que era a hora de consultar o primogênito sobre a decisão de vocês nossa decisão:

- Filho, o que você acha de ter um irmãozinho, um bebê e tal e coisa.

- Eu não quero!

- Mas vai ser legal! Você vai pegá-lo no colo?

- Não, no colo, não.

- Então o que você vai fazer com ele?

- Primeiro eu vou passar sal, depois limão, daí vou botar o bebê no forno até ele queimar. E depois...e depois eu como ele inteirinho e jogo ele na piscina. Entendeu?

***

E daí? Desisto da idéia e vou buscar o labrador?
 

Aviso ao leitor: Para melhor compreensão deste post, leia primeiramente, este post aqui.

***

Marido me proibiu terminantemente de falar da nossa vida sexual aqui no blog, de modo que não poderei mais dividir com vocês o lance da anulação e foco nos elementos da natureza mencionado no post anterior.

Patrão proibiu, simples assim.  Essas foram as exatas palavras proferidas por ele:

"Já não basta o fato de que nós, maridos de blogueiras, somos mencionados sem cerimônia em blogs espalhados pelo país e pelo mundo, ainda temos que dividir trechos de foro íntimo e privado para um sem número de mulheres?"

Então, senhoras, ainda que o próximo filho nasça a minha cara eu estou, desde já, desautorizada a detalhar se foi ou não obra da simpatia tibetana. Mas, cá entre nós, vocês vão saber que foi.

Combinadas?

***

E obrigada por interromper o domingão precioso de vocês pra vir aqui me dizer que era hora mesmo de fazer mais um filho. Fiquei feliz, cantarolei, coloquei a mesa, abri vinho do bom e fui fazer almocinho de domingo.

- Mamãe, o que você tá fazendo?

- Peixe assado, filhote.

- Mas como é que se faz?

- Primeiro você pega o peixe, coloca sal, coloca limão...põe ele no  no forno até que ele fique douradinho. Daí é só comer! Entendeu?

***

Depois do almoço achei que era a hora de consultar o primogênito sobre a decisão de vocês nossa decisão:

- Filho, o que você acha de ter um irmãozinho, um bebê e tal e coisa.

- Eu não quero!

- Mas vai ser legal! Você vai pegá-lo no colo?

- Não, no colo, não.

- Então o que você vai fazer com ele?

- Primeiro eu vou passar sal, depois limão, daí vou botar o bebê no forno até ele queimar. E depois...e depois eu como ele inteirinho e jogo ele na piscina. Entendeu?

***

E daí? Desisto da idéia e vou buscar o labrador?
 

Marido me proibiu terminantemente de falar da nossa vida sexual aqui no blog, de modo que não poderei mais dividir com vocês o lance da anulação e foco nos elementos da natureza mencionado no post anterior.

(quem não estiver entendendo as divagações, é favor voltar pra este post aqui.)

Essas são as exatas palavras proferidas pelo patrão:

"Já não basta o fato de que nós, maridos de blogueiras, somos mencionados sem cerimônia em blogs espalhados pelo país e pelo mundo, ainda temos que dividir trechos de foro íntimo e privado para um sem número de mulheres?"

Então, senhoras, ainda que o próximo filho nasça a minha cara eu estou, desde já, desautorizada a detalhar se foi ou não obra da simpatia tibetana. Mas, cá entre nós, vocês vão saber que foi.

Combinadas?

***

E obrigada por interromper o domingão precioso de vocês pra vir aqui me dizer que era hora mesmo de fazer mais um filho. Fiquei feliz, cantarolei, coloquei a mesa, abri vinho do bom e fui fazer almocinho de domingo.

- Mamãe, o que você tá fazendo?

- Peixe assado, filhote.

- Mas como é que se faz?

- Primeiro você pega o peixe, coloca sal, coloca limão...põe ele no  no forno até que ele fique douradinho. Daí é só comer! Entendeu?

***

Depois do almoço achei que era a hora de consultar o primogênito sobre a decisão de vocês nossa decisão:

- Filho, o que você acha de ter um irmãozinho, um bebê e tal e coisa.

- Eu não quero!

- Mas vai ser legal! Você vai pegá-lo no colo?

- Não, no colo, não.

- Então o que você vai fazer com ele?

- Primeiro eu vou passar sal, depois limão, daí vou botar o bebê no forno até ele queimar. E depois...e depois eu jogo ele na piscina. Entendeu?

***

Ou seja, colegas, será que não é melhor mesmo ir lá buscar o tal labrador?
- Marido me proibiu de falar da nossa vida sexual aqui no blog, então não vou mais poder dividir com vocês o lance da anulação e foco nos elementos da natureza mencionado no post anterior.

Essas são as exatas palavras proferidas pelo marido:

"Já não basta o fato de que nós, maridos de blogueiras, somos mencionados sem cerimônia em blogs espalhados pelo país e pelo mundo, ainda temos que dividir trechos de foro íntimo e privado para um sem número de mulheres??"

Então, senhoras, ainda que o próximo filho nasça a minha cara eu estou, desde já, desautorizada a detalhar se foi ou não obra da simpatia tibetana. Mas vocês já vão saber que o patrão incorporou a graminha.

Combinadas?