quarta-feira, 22 de julho de 2009

O parafuso da calota da roda do caminhão

Então. Sabe aquilo que eu disse outro dia? Que nós, super -mega- mamis-que-somos, deveríamos nos unir para um futuro melhor pros nossos filhotes e tal e coisa?


Pois bem, eu comecei a agir. Quer dizer, não sei se dar uma de fofoqueira e denunciar motorista de caminhão de empresa grande conta, mas acho que sim, né? Yes!


 Foi assim ó: eu e família caminhando felizes e cantarolantes pelas ruas de Copacabana. Derrepente um caminhoneiro doido, varrido e escovado passa a trocentos km/hora! Em uma rua super movimentada! Com escola pertinho dali! Fazendo com que duas garotinhas voltassem a calçada pois não daria tempo de atravessar! Terror! Em plena luz do dia! Extra Extra!


Fiquei assustadíssima e fiz sinal pra ele reduzir. Acreditam que o sujeito me viu pelo retovisor e começou a rir da minha cara?! Sim!


E o pior ainda está por vir: depois de rir da cara de uma super-mami ele ainda teve a pachorra de furar o sinal! Acreditam?! Horror! Horror! Mais pontos de exclamação!


Mas... quem é vivo sabe que super-mamis são dotadas de visão ultra-mega-super-sônica, então eu tive tempo de reparar o que estava escrito no tal caminhão: Abracadabra. Não, caros amigos, não se trata de uma associação de mágicos aposentados. Trata-se de uma loja de...artigos infantis!!!!


Primeiro liguei. Depois mandei um email assim ó:


Olá, Eu gostaria de relatar uma denuncia grave sobre um motorista que conduzia um caminhão da Abracadabra, no cruzamento da Rua Duvivier com a Ministro Viveiros de Castro (data e horário abaixo especificados).

Um motorista conduzindo o caminhão da Abracadabra estava
muito acima do limite de velocidade permitido, e duas crianças que estavam atravessando calmamente a rua (ja que ali perto existe uma escolinha) tiveram que voltar a calçada correndo, pois, com a velocidade do caminhão,ele não conseguiria parar a faixa de pedestres, como, de fato, não parou. 

Eu então apressei o passo (com meu filho de 8 meses no carrinho) e fiz sinal para que o motorista reduzisse a velocidade. Ele começou a rir e a fazer sinais e PASSOU O SINAL do cruzamento da Duvivier com a Barata Ribeiro!!!

Como cliente da Abracadabra e cidadã preocupada, venho atraves dessa pedir a imediata averiguação dos fatos e devidas providências, no sentido de responsabilizar referido motorista por total falta de prudência, que poderia, sem sombra de dúvida ter culminado em uma tragédia. Desde já agradeço e aguardo contato.

Atenciosamente, Roberta

Primeiro recebi uma daquelas respostas-padrão que irritam até o mais gente boa dos caras.  Aquelas do tipo "Obrigado. A sua opinião é muito importante pra nós. Nós entraremos em contato no dia de São Nunca, ô sua desocupada assim que for possível."


Como Mãe não é pessoa que desiste fácil, mandei outro assim ó:


Gostaria de obter algum retorno em relação aa minha denúncia.

Atenciosamente,

Roberta

E a moça respondeu:


Prezada Roberta,

Medidas internas já foram tomadas.

Atenciosamente,

P

Confesso que achei essa resposta até mais bonitinha, mas como medidas internas, pra mim, soa algo como 60 de coxa, 90 de quadril, resolvi querer mais:


Oi P,


Finalmente uma resposta um pouco mais pessoal do que aquela padrão.

Desde já agradeço e torço para que a Abracadabra proteja as crianças que tanto lucro trazem aa empresa.

Atenciosamente,

Roberta

E a resposta:


Prezada Roberta,


Pode confiar.


Obrigada mais uma vez pelo seu empenho e dedicação.


Atenciosamente,


P


Tá bom, vai. Eu não sei se o moço vai de fato sofre as consequências MALIGNAS de ter desafiado uma suuuuuuper-mãe. Eu nem sei se a moça vai, ao menos, comunicar ao departamento do doido varrido. Vai ver que os dois são, na verdade, amantes e se acabaram de rir, tomando uma gelada e comendo um aipizinho frito equanto liam meus emails.


- Abelardo, dá uma olhada no que chegou pra mim hoje. Ha ha ha ha ha! 


- Ha ha ha ha ha, aquela super-mãe babacona! Ha ha ha ha ha hi hi hi hi hi. Agora me passa um aipizinho bem torradinho, vai meu amor...


Bom, não importa. Eu fiz minha parte. E comecei, ainda que a passinhos pequenos, a tal da campanha para um mundinho melhor. Passos pequenos feito o parafusinho da calota da roda do caminhão.


(Mas por você, filho, juro, tudo parece grandioso.)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Assim vivem os tartarugos marinhos (da série "não basta ser pai...")

IMG_0417IMG_0419


IMG_0420IMG_0422

As Mama-Bin-Laden e o Terrorismo Cyber-Materno

Então eu andei tendo dois dias de raro ócio e resolvi sentar em frente ao laptop e descobrir mais sobre essa delicada atual fase do Noah, a tal Ansiedade de Separação  que, me parece, bate ali pelos 8 meses.  Nessa fase, a cria finalmente descobre que ama loucamente aquela moça descabelada, de olheiras e camisa do avesso (também conhecida como mãe), gruda no pescoço dela, agarra na barra da saia e fica assim ó:


toddler-cryingOcorre que a Internet, como sabemos, tem o poder de nos desviar de assunto: entramos pra pesquisar sobre carros e terminamos numa loja virtual de insensos da Indonésia. E eis que eu fui me desviando e desviando, lendo blogs, lendo foruns de discussão e fiquei alucinada com que constatei: a mulherada-mãe está pirando o cabeção e fazendo terrorismo! Live! On the Internet!


Heeeeelp!!!!!!!!!!!!


Funciona assim: você pega uma escolha que não a sua e critica, critica, critica, até que a outra mãe, que não teve a mesma escolha que a sua se sinta culpadíssima, como se fosse membra vitalícia do Talibã. Vou exemplificar:


Assunto: Partos (round 1):


- Com a palavra, as Mama-B-L do Parto Natural: "Sua-pilantra, você -é -preguiçosa, mequetrefe -não- quis- fazer- o -dever -de- casa, sua--barriga-tem-ziper-pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!"


- As terroristas da Cesareana: "Pior-é-vc-feia-chata-desocupada-eu-não-tive-culpa-o-médico-recomendou-vai-catar-coquinho-na-esquina- pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!"


- E, ainda, as B-L do Parto Humanizado: "Suas-desinformadas-anestesiadas-quem-não-sente-dor-não-merece-ser-mãe-tem-que-sofrer-eu-sou-mais-humana-pow!!!-crach!!!!-sock!!!!-kapow!!!!-smash!!!!"


Assunto: Trabalhar ou Não.


- As mães que não trabalham: "Paaaarem-paaaarem-de-trabalhar-vcs-deixam-com-a-baba-na-creche-que-horror-o-mundo-está-assim-por-causa-de-vcs-o-mundo-vai-explodir-e-vcs-são-as-culpadas-sock-pow-zap-buuuuuum!!!"


-Ao que, as mães que trabalham respondem: "Vai-trabalhar-desocupada-tu-vai-acabar-é-tomando-chifre-chata-chata-de-galocha-sock-pow-zap-buuuuum!!!!!".


Assunto: Amamentação


- As que amamentam: "Suas-pilantras-preguiçosas-artificiais-vcs-têm-cheiro-de-NAN-vão-arder-no-inferno-cabrum-cataplam-hahahahaha-hahahahaha!!!"


- E a turminha do NAN argumenta: "Pelo-menos-meus-peitos-vão-ficar-intactos-cabrum-cataplam-hahahahaha-hahahahaha!!!"


E por aí vai. Tem a galera da chupeta x não chupeta, cama familiar x Deus me livre, cada um na sua cama, introduzir sólidos assim x introduzir sólidos assado.


Gentem! Vamos parar de terrorismo umas com as outras!? Quem sou eu pra dizer qualquer coisa, desde que virei mãe venho tentando acertar, mas erro MUITO. E tudo bem. Um dia eu chego lá. Ou não.


Eu acho válida a discussão, a pesquisa, os relatos. O que não leva a nada é essa sequência de ofensas e de auto-afirmação, do tipo "eu fiz assim: ou você faz igualzinho ou eu, dona da razão que sou, me viro automaticamente contra você e os seus". Haja!


Por outro lado, não encontrei muita coisa a respeito de qualidade de vida dos nossos filhos: mais parquinhos, mais praças, bibliotecas infantis, faixas de segurança?! Sério, que tal focar toda essa energia e nosso maravilhoso dom argumentativo de mães pra fazer algo mais produtivo? Como é na sua cidade? O que você poderia fazer?


Essa é a minha campanha: Chega de terrorismo. Usemos a força dos blogs e os super-poderes de mãe para fazer algo construtivo. E chega.

sábado, 4 de julho de 2009

Michael Jackson, Io-iô da Coca Cola e a Zebrinha do Fantástico

Esse é pra você, filho:


O ano era 2009, filhote, e você mal tinha completado 8 meses de idade. Você estava mamando, confortavelmente pendurado no meu peito, quando a notícia veio: Michael Jackson passou dessa pra outra, melhor e menos confusa.  O ano era 2009, o Presidente da República se chamava Lula e a cerveja custava 3 reais e cinquenta.


Tenho certeza que você já sabe que Michael foi o Rei do Pop. O sujeito era talentosíssimo e fez sua mãe e o resto do mundo dançar e sacolejar ao som de seus i-hiiiiiiiiiii. Michael Jackson inspirou todos os que vieram depois dele.  A própria Madonna, que  hoje beira os 70, mas que, acredite na sua mãe, já beijou padre, crucifixo e rabino na boca, se diz influenciada por ele. Britney Spears, hoje cinquentona e acabadaça, nunca teria colocado as mãos em um só Grammy não fosse por esse rapaz. Ele morreu era 2009. Umas 11 milhões de pessoas eram conectadas a banda larga no Brasil e um pão de queijo+guaraná te custavam uns 4 pilas.


Enfim, apesar de completamente  descompensado, a ponto de fazer Amy Winehouse parecer uma pessoa centrada, o homem era de  incomparável talento. 


Ele era assim ó:


Michael_Jackson_Thriller-front


Depois ficou assim:


michael_3


 


E já que estamos revirando as gavetas, filho, deixa eu te contar que quando a mamãe era criança, beeeeeeem antes da era MTV, ela assistia aos  clipes do Michael Jackson no programa Fantástico, o Show de horrores da Vida.  O Fantástico anunciava os resultados da Loteria Esportiva. E quem dizia os resultados era a tal de uma Zebrinha, essa aqui ó:


zebra1 


Mesmo com a simpática zebrinha, dormir depois do Fantástio era pesadelo na certa: o programa insistia em trazer umas matérias sobre paranormalidade, com criancinhas que morreram e voltaram pra assustar os pais e previsões sobre o fim do mundo. A frase que ficava ecoando na minha apavorada cabeça de 6 aninhos era  "O dia em que a terra vai explodir e o mundo vai acabar...isso é mistério...isso é Fantástico". Um horror, mas não havia muito mais a se assistir, naquela época. Até porque muitos programas não eram liberados! Antes dos programas começarem, a gente via um papelzinho assim ó:


...era um cartãozinho bem meia boca que aparecia antes do programa começar...


Quando a mamãe era pequena não existia fax, nem tv digital, nem google (!!!). Não havia dieta baixa em carboidratos e nem DVD; ninguém sofria de pânico, stress ou bipolaridade e Atari era o que havia de mais avançado nos jogos eletrônicos. O tempo passava devagar e relógio trocava de pulseira. Quando sua mãe era pequena, a Baía de Guanabara era azul, Michael Jackson era preto e o sonho de consumo das crianças era vermelho, redondo e acionado com um sofisticado barbante encardido.


ioio_coca